O SUBMARINO que a gente NÃO QUIS fazer

publicidade

Que tal conhecer um submarino que a gente não quis fazer? Isso mesmo, durante nossa pesquisa para tirar o projeto do submarino do papel, um modelo chamou nossa atenção: o narcossubmarino. Contudo, isso aconteceu porque muita gente usa esse tipo de veículo para fazer o que não deve.

publicidade

Antes de mais nada, precisamos confessar uma coisa. No começo de 2018, quando prometemos fazer um submarino, estávamos pensando em algo muito mais simples.

A princípio, nossa embarcação seria uma cápsula que pudesse ir para baixo d’água, e o ar viria por um cano de PVC. Esse cano também ajudaria o submarino a boiar, limitando sua profundidade. Muito mais simples e fácil, já que não seria necessário um sistema de lastros nem uma casca muito grossa.

Então, por que não fizemos esse projeto?

A resposta é simples: isso não é um submarino. O nome deste tipo de embarcação é semissubmersível (também chamada de narcossubmarino). E quem acompanha o Manual do Mundo sabe que nós cumprimos o que prometemos — podemos demorar um pouco, mas cumprimos!

Entretanto, não vamos desmerecer o semissubmersível. Estudando essa embarcação, pudemos aprender muito, inclusive, para fazer o nosso próprio submarino. Um exemplo disso é que percebemos que precisamos de muita massa para fazer algo afundar. Em nosso projeto, estamos falando de mais de 400 kg de chumbo!

Mas vamos à pergunta que não quer calar: alguém usa o semissubmersível?

Semissubmersível ou narcossubmarino?

Sim. Infelizmente, muitas pessoas usam a embarcação para fins ilegais, como tráfico de drogas. E isso não é de hoje. O primeiro registro que encontramos do uso de um narcossubmarino é de 1988, na Flórida, Estados Unidos. Era uma espécie de reboque de barco que afundava a partir de um comando feito por controle remoto.

Depois de contarmos toda a história dos narcossubmarinos, vamos voltar ao submarino do Manual do Mundo? Afinal, quais são as vantagens do nosso projeto?

A nossa embarcação possui um controle de profundidade parrudo. Além dos dois lastros de chumbo, também contamos com dois lastros de água, um em cada ponta do submarino.

A segunda vantagem é que contamos com um reservatório de oxigênio, ou seja, não dependemos do ar externo.

Outra coisa é que sempre prezamos pelo conforto, afinal quem vai dentro do submarino é o capitão Iberê, não é mesmo?

Acha que acabou? Nada disso! Nosso motor é elétrico. Nada de poluir o meio ambiente ou “viajar” escutando um barulhão!

E, por último, a vantagem mais importante de todas é que FIZEMOS UM SUBMARINO DE VERDADE! Vale um joinha, não é mesmo?

Fontes:
“Creative drug smugglers turn to submarines”. (1988, Out.). UPI Archives.
https://www.upi.com/Archives/1988/11/11/Creative-drug-smugglers-turn-to-submarines/8252316907705/

“Submarine with cocaine seized off Costa Rica”. (2006, Nov.). NBC News.
https://www.nbcnews.com/id/wbna15811689

David Kushner. (2009, Abril). “Drug-Sub Culture”. The New York Times Magazine.
https://www.nytimes.com/2009/04/26/magazine/26drugs-t.html?_r=1

Azadeh Ansari. (2009, Janeiro). “Smugglers sink ‘drug subs,’ but not feds’ case”. CNN Digital.
http://edition.cnn.com/2009/CRIME/01/14/drug.subs/

“Drug Trafficking Vessel Interdiction Act of 2008, Public Law 110–407—OCT. 13, 2008”. Congresso dos Estados Unidos.
https://www.govinfo.gov/content/pkg/PLAW-110publ407/pdf/PLAW-110publ407.pdf

“Self-Propelled Semi-Submersible (SPSS)”. Joint Interagency Task Force South.
http://media.mcclatchydc.com/smedia/2008/07/18/17/Hall-SPSS-factsheet.source.prod_affiliate.91.pdf

Leonardo Monteiro. (2020, Dezembro). Fantástico, Rede Globo.
https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2020/12/13/narcosubmarino-e-apreendido-com-r-600-milhoes-em-drogas-veja-bastidores-de-operacao.ghtml

“Narco-submarine”. Wikipedia. Recuperado em Maio de 2021.
https://en.wikipedia.org/wiki/Narco-submarine

Deixe seu comentário

Artigo anteriorNASA enviará duas naves robóticas para Vênus
Próximo artigoCientistas evoluem fungo para acabar com parasita de abelhas
Jornalista multimídia e produtora de conteúdo. Curiosa, gosto de ler de tudo um pouco - de livros gigantes até placas de trânsito. Sou fã dos quadrinhos da Mafalda, e todos meus animais de estimação têm nome de comida. Adoro contar uns contos, mas amarro bem os pontos.