O MENINO que FEZ um DRONE SUBMARINO

publicidade

Aqui no Manual do Mundo, como vocês bem sabem, submarino é pauta o tempo todo: seja feito na garrafa, nuclear, ou até mesmo o nosso com a fibra de vidro. A gente gosta do assunto e explora todas as possibilidades. E nessa empreitada da vida nos deparamos com um projeto que é a nossa cara: um drone submarino!!!

publicidade

Drone submarino

Sim, vocês não entenderam errado: o drone submarino existe e funciona muito bem! Contextualizando, essa máquina foi desenvolvida pelo estudante do ensino médio Guilherme Surányi de apenas 17 anos.

A ideia surgiu durante uma viagem que o jovem fez juntamente com a escola para Abrolhos, um arquipélago costeiro localizado no Oceano Atlântico, a cerca de 65 quilômetros do litoral sul do estado brasileiro da Bahia.

Durante essa viagem, Guilherme encontrou alguns pesquisadores que estavam tentando tirar fotos de corais no fundo do mar. Esses profissionais o abordaram, juntamente com seus amigos, para que eles pudessem ajudá-los, já que precisavam colher essas informações para desenvolver toda a documentação.

No entanto, isso foi um tanto quanto difícil, já que os jovens não tinham ideia de como escrever em latim e muito menos o nome de todas as espécies presentes no local.

A partir dessa experiência, Guilherme se questionou se não seria possível fazer esse trabalho de uma forma mais simplificada, no caso, criar algo que facilitasse a vida dos pesquisadores.

Como ele já gostava de tecnologia, isso serviu de gatilho para que ele se dedicasse ao drone submarino, que tinha como objetivo ajudar no processo de monitoramento dos corais.

Invenção do drone aquático

A invenção do drone submarino rendeu ao Guilherme nada mais nada menos do que o primeiro lugar em engenharia na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE) agora no ano de 2021. Inclusive, para quem não sabe, há alguns anos o Iberê e a Mari apresentam a premiação da FEBRACE. Vale acrescentar que, além desse trabalho, outros projetos incríveis foram desenvolvidos por estudantes do Brasil inteiro que merecem ser prestigiados.

A criação do drone submarino rendeu ao estudante também a participação na Feira Internacional de Ciências e Engenharia (ISEF). Durante essa experiência, o jovem pode conhecer um engenheiro que trabalha no submarino nuclear dos Estados Unidos e uma engenheira que trabalha no controle dos drones da Marinha. Incrível, né?

E o projeto merece tamanho holofote, já que o objetivo era resolver um problema que ele tinha presenciado de forma prática, barata e que pudesse ser solucionada por outras pessoas também.

Para isso, a ideia de Guilherme foi desenhar todo o drone submarino em 3D para se certificar de que todas as peças fossem se encaixar perfeitamente. Seguindo dessa forma, a máquina poderia ser replicada em qualquer lugar do mundo, seja para imprimi-la em 3D ou em uma cortadora a laser.

Fala se não é um trabalho de admirar? Mas isso não para por aqui não! Assista ao vídeo na íntegra e descubra o passo a passo feito pelo estudante para conseguir tirar esse projeto do papel. E não esqueça de compartilhar esse vídeo também com aquele seu amigo que ama todas as nossas aventuras relacionadas ao submarino!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorAlternativa aos agroquímicos: projeto busca controlar doenças e inibir danos a saúde
Próximo artigoReciclagem de alimentos: grupo cria farinha nutritiva com cascas de legumes