O INTERRUPTOR INTELIGENTE que vocês pediram!

publicidade

A praticidade e a comodidade que um interruptor inteligente proporciona são sempre pontos de destaque – ainda mais quando ele está alinhado e integrado com outros mecanismos que promovem a automação residencial que, cada vez mais, vem ganhando espaço nos lares de algumas famílias.

publicidade

Basicamente, para criar uma automação residencial, você só precisa de aparelhos elétricos que se conectam com a internet – como é o caso de um interruptor inteligente – e um objeto que fará a coleta e a troca de informações entre os dispositivos.

Automação residencial

Atualmente, para fazer essa interface entre os dispositivos, se utiliza as chamadas “assistentes virtuais” – que são aparelhos capazes de realizar tarefas ou serviços. Esses afazeres incluem atividades como apagar a luz, ligar o aspirador de pó, ligar o ar condicionado e por aí vai.

No entanto, para garantir que a automação residencial seja completa e eficaz, é preciso que os aparelhos, de fato, possuam conectividade para que eles possam realizar essas atividades entre si.

Interruptor inteligente

Para quem está em busca de fazer uma automação em casa, uma ótima opção é integrar com as assistentes virtuais um interruptor inteligente. Com isso, será possível ligar ou desligar qualquer aparelho que esteja conectado nele utilizando apenas o sinal de internet.

Vale destacar que esse tipo de automação integrada possui inúmeras vantagens, tendo em vista que é possível ter o controle de casa na palma da mão, estando a distância ou não, além de contar com o comando de voz como aliado.

Nós fizemos todos esses testes no estúdio e o resultado foi positivo! Agora que você chegou até aqui e entendeu melhor como funcionam esses mecanismos e como eles podem ficar ainda mais completos, não deixe de assistir ao vídeo na íntegra para conferir os nossos testes e de compartilhar com aquele seu amigo que vive falando do assunto!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorTratamento da asma: jovem desenvolve projeto com princípios da fitoterapia
Próximo artigoO canal no Youtube que combina pesquisa, bom humor e “mimimi”