Como ACHAR PETRÓLEO debaixo do mar?

publicidade

O petróleo é uma mistura de substâncias químicas muito utilizada por ser uma fonte de energia, além de matéria prima para uma infinidade de produtos. Mas, como achar petróleo? Tudo começa com um estudo chamado de análise sísmica, que serve para descobrir se uma área é promissora ou não para a formação e acumulação de petróleo.

publicidade

Análise sísmica

A análise sísmica, basicamente, é uma técnica que utiliza inúmeros recursos de ponta para “enxergar” camadas embaixo da terra, no caso no fundo do mar, e, assim achar petróleo.

Vale acrescentar que a análise sísmica é feita de acordo com vários estudos ambientais e as explorações só acontecem com autorização de órgãos ambientais.

Como achar petróleo

Como mencionado anteriormente, na análise sísmica, várias tecnologias modernas são utilizadas. Navios que realizam o mapeamento dessas possíveis áreas que serão exploradas para achar petróleo, por exemplo, conseguem, com sensores, fazer um levantamento 3D para descobrir onde ficam os reservatórios de petróleo. Essa tecnologia é chamada de sísmica 3D.

Só que esses estudos vão além. Para explorar o máximo possível desses reservatórios, existe ainda a sísmica 4D. Isso porque, depois que os poços são perfurados e o petróleo começa a ser extraído ele pode mudar de lugar.

Com isso, é necessário fazer outras perfurações e análise sísmica para poder extrair todo o material presente no local. Para garantir um melhor aproveitamento, são instalados alguns sensores no fundo do oceano, em cima da região que tem petróleo, para “tirar fotos” do reservatório e saber para onde o petróleo está se movimentando.

Infrassom

Mas, se você está se perguntando, afinal, como essas “fotos” são feitas em um local de difícil acesso, abaixo de quilômetros de água, rocha e sal… claro, que a gente responde!

Tudo isso é feito por meio do infrassom. Essas ondas sonoras extremamente graves são frequências que ficam abaixo dos 20 Hz, portanto abaixo da faixa audível mais comum do ouvido humano que é de 20 Hz a 20.000 Hz.

Na prática, isso funciona da seguinte forma: um navio solta ondas que vão refletir nas camadas abaixo do fundo do oceano e vão voltar em direção à superfície, até serem captadas por sensores. Conforme o tempo que essas ondas demoram para ir e voltar é possível saber se aquela região está mais próxima ou mais distante e, assim, é possível mapear os locais onde existe mais chance de se achar petróleo.

Sismógrafo

No entanto, por mais que o infrassom possa parecer algo distante da nossa realidade, na verdade, o infrassom também ocorre nos terremotos! Isso porque, um terremoto nada mais é do que o chão vibrando devagar e, por isso, não conseguimos ouvir.

Só que tanto o terremoto quanto o som, são vibrações que podem se propagar pela terra, pela água e pelo ar. E para medir esse abalo sísmico é utilizado um equipamento chamado sismógrafo que marca essas vibrações que estão acontecendo.

E sabia que é possível fazer um sismógrafo caseiro? Agora que você chegou até aqui e já sabe como achar petróleo, não esqueça de assistir ao vídeo na íntegra e descobrir como fazer esse aparelho em casa. Não deixe também de compartilhar esse vídeo com aquele seu amigo que gosta de tecnologias que transformam nossas vidas.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorLixeira Descontaminadora Ultravioleta: grupo cria equipamento para desinfetar máscaras descartáveis
Próximo artigoCarros elétricos: projeto estudantil busca transmitir energia por meio de indução eletromagnética