Veja um FORMIGUEIRO por DENTRO! #Boravê

publicidade

Você sabe como funciona um formigueiro de saúvas? Nós vamos te levar para visitar o Laboratório das Formigas Cortadeiras em Rio Claro, no interior de São Paulo, e vamos te mostrar como é um formigueiro por dentro! Boravê?

publicidade

Quem acompanha o Manual do Mundo, deve lembrar que já tentamos fazer um formigueiro. Nossa experiência não deu certo, mesmo assim, continuamos buscando novas formas de montar nossa própria criação. Durante esta jornada, recebemos um e-mail do Danilo contando que trabalha com MIRMECOLOGIA, área da Biologia que estuda as formigas.

No laboratório, o formigueiro é feito de potes de acrílico. Por isso, a gente consegue ver como funciona toda a sociedade das formigas. Eles fazem de tudo pra manter ali o mesmo processo que se encontra na natureza.

Mas, antes de falar sobre como esse formigueiro funciona, vamos para o primeiro passo: a captura das formigas!

De onde vem as formigas?

Antes de mais nada, é preciso pegar as formigas na natureza. A coleta para capturar os insetos que vão fazer parte do formigueiro é feita em duas etapas. A primeira é na época da revoada, entre outubro e dezembro. É quando essas formigas grandes e voadoras, as içás, se encontram no ar para acasalar.

A formiga-princesa acasala com o bitu, a formiga-macho. E, logo após, quando ela é fecundada, se torna uma formiga-rainha.

A rainha, então, quebra as asas logo depois do acasalamento, cava e coloca os seus ovos para começar o novo formigueiro.

Uma vez que isso ocorra, os pesquisadores vão coletar a rainha e uma “cama” de fungo que ela prepara para servir de alimento para o formigueiro que vai começar. Uma segunda coleta no campo é feita de 5 a 6 meses depois da revoada.

Posteriormente, as formigas coletadas são colocadas em potes pequenos antes de serem transferidas para as estruturas de acrílico. Neste momento, já é possível ver que algumas formigas já nasceram ali.

No período de 2 meses, elas saem dos ovos, viram larvas e depois pupas, que é esse estágio onde elas ainda não se mexem. Até que, finalmente, se tornam adultas.

Essas primeiras são as operárias de formigas-cortadeiras, um tipo estéril. Na verdade, tirando a rainha, nenhuma outra formiga nessa sociedade consegue se reproduzir.

Ao passo que a esponja de fungos está do tamanho de um punho fechado, os pesquisadores fazem a transferência do ninho para o formigueiro definitivo.

Conheça a organização do formigueiro

Na natureza, as formigas organizam tudo em câmaras de baixo da terra. E, surpreendentemente, no laboratório, elas vão fazer a mesma coisa.

Em um lugar elas vão guardar os vegetais frescos e secos que coletaram. No outro, fica o jardim de fungos que elas cultivam usando esses vegetais, que são delicadamente depositados no jardim.

O fungo é o principal alimento desse grupo de formigas. Por isso, cuidar desse jardim é tão importante.

E em um terceiro lugar, elas deixam o lixo, que são as folhas velhas e sem nutrientes tiradas do jardim de fungos. Esse lixo é tratado o tempo todo, já que sempre tem alimento novo entrando.

No caso das “formigas de laboratório”, os pesquisadores deixam os alimentos para os insetos pegarem, como folhas, aveia, farinha e pedaços de frutas, por exemplo. E na hora de tirar o lixo, elas precisam dar uma mãozinha, fazendo a limpeza uma vez por semana.

Como é a sociedade das formigas?

Uma colônia do gênero Atta, por exemplo, pode concentrar até 7 milhões de insetos. Por isso, cada formiga tem sua função para manter o formigueiro vivo. Sendo que cabe à rainha a responsabilidade de inaugurar o formigueiro, reproduzir e botar ovos.

Os bitus são os machos e têm como única função reproduzir. Eles só vivem na colônia durante a época de acasalar. Após cumprirem sua missão, eles morrem. Assim sendo, os seus espermatozóides são guardados num órgão da rainha, a espermateca.

Já as operárias estéreis cuidam da colônia e são divididas em classes:

  • As cortadeiras ou carregadeiras, que cortam as folhas e transportam para o ninho;
  • As jardineiras que são as que cuidam dos fungos;
  • As enfermeiras que ficam responsáveis pelos ovos, larvas, pupas e reprodutores que vão nascer durante a época de reprodução do formigueiro;
  • As lixeiras, que limpam o formigueiro e carregam todo o lixo para um lugar longe do fungo, evitando a contaminação;
  • E, por último, os soldados que protegem o formigueiro das ameaças, como predadores e até outras formigas!

Tirando uma participação rápida dos bitus, essa sociedade inteira é só de fêmeas!

E aí, você fazia ideia de que um formigueiro era tão complexo assim? Não esqueça de compartilhar com os amigos!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorCientistas amadores contribuem com estudos sobre cigarras periódicas
Próximo artigoNASA enviará duas naves robóticas para Vênus
Jornalista multimídia e produtora de conteúdo. Curiosa, gosto de ler de tudo um pouco - de livros gigantes até placas de trânsito. Sou fã dos quadrinhos da Mafalda, e todos meus animais de estimação têm nome de comida. Adoro contar uns contos, mas amarro bem os pontos.