COMO é FABRICADO o SINO de IGREJA #Boravê

publicidade

Um sino, basicamente, é um instrumento musical de percussão e um idiofone – cujo som é provocado pela sua vibração. A sua forma é aproximadamente a de um cone oco que ressoa ao ser “golpeado”. Mas você tem ideia de como é fabricado o sino de igreja?

publicidade

Para responder essa pergunta, o Manual do Mundo foi até Dourado, uma cidade que fica no interior do estado de São Paulo, para saber como são fabricados os sinos de igreja. Para isso, fizemos uma visita virtual em uma fábrica, dentre as três existentes no Brasil, que faz sinos. Boravê?

Antes de mais nada, para contextualizar, vale pontuar que esses dispositivos são muito encontrados em templos religiosos por conta de algumas finalidades: além do toque, que serve para avisar acerca das horas, o sino toca para anunciar quando uma missa vai começar e também há badaladas diferentes para anunciar algum acontecimento importante da Igreja Católica. Bem interessante, não é mesmo?

Como é fabricado o sino de igreja

O primeiro passo da produção de um sino é decidir a nota que o sino vai tocar, porque é ela que determina o tamanho, o peso que esse instrumento vai ter e o preço já que, normalmente, esse item é vendido por kg.

Durante o processo de construção, é preciso fazer um pequeno forno de carvão, porque ele vai ser a base da produção do sino, como se fosse uma mesa. Depois, é produzida a sagoma, que é uma lâmina que corta e molda o barro nos formatos corretos de um sino.

Essa lâmina vai rodando em volta do sino, em uma parte chamada de macho, que é a parte de dentro do molde, onde vai formar o espaço vazio do sino. A etapa seguinte é queimar e pintar o sino com um desmoldante para impedir que as camadas que vão em cima grudem ali.

Depois disso, em cima do macho, vai novamente mais uma camada de barro que vai ser moldada também pela sagoma. No entanto, ela vai ser montada com um formato um pouco diferente. Isso porque, essa camada é chamada de falso sino de barro e vai ser uma cópia do sino real, só que feita de barro.

Montagem do sino

Quando se chega ao formato desejado, o sino fica de dois a três dias descansando para secar. A etapa seguinte é aplicar uma camada de sebo animal (gordura) derretida que tem duas funções: a primeira é servir como um desmoldante para a forma que vem por cima e a segunda é ser uma cola para os ornamentos.
Os enfeites esculpidos pelo artesão e que tirou com cêra de abelha são aplicados nessa etapa. Essas peças são grudadas no sebo animal e, esse sino falso está pronto.

Depois, mais uma camada de barro é adicionada por cima, que vai servir como uma capa. Para fazer isso, é utilizado uma argila bem fina para que ela entre em todos os buraquinhos dos enfeites presentes no sino e também aguentar o calor na futura fundição.

Por cima dessa parte vai ser adicionado também um barro mais resistente e grosso. Nesse barro é colocado açúcar, corda de sisal e tecido de juta, para garantir que o material não vai rachar e tenha uma estrutura bem montada.

Nesse momento, é adicionado outra importante parte do sino: a cora. Ela é a parte de cima do sino, que foi modelada em cera e recebeu as mesmas camadas de barro.

Quando tudo isso é feito, a capa passa pelo processo da queima, que dura até dois dias. Depois que isso é concluído, aquele sino falso de barro é quebrado com muito cuidado para chegar até o macho, que é a peça que importa nesse processo.

Hora de ouvir as badaladas?

Como deu para perceber, o processo de como é fabricado o sino de igreja é bem complexo. Uma etapa importante, inclusive, é quando começa a trabalhar com o metal. Nessa fase, muitos detalhes são feitos com ainda mais precisão.

Mas, para ouvir e ver como ficou o sino do Manual do Mundo (sim, temos um sino), você vai precisar assistir ao vídeo na íntegra. Ah, e não esqueça de compartilhar esse vídeo com aquele seu amigo que adora instrumentos musicais e não perde um #Boravê!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorNatureza na internet: conheça a engenheira florestal do Youtube
Próximo artigoROBÔ que ENFILEIRA DOMINÓ: Funciona mesmo?