O que tem DENTRO de um VIDEOCASSETE

publicidade

Há um tempo recebemos um videocassete de presente e ficamos super empolgados para fazer um vídeo e descobrir o que tem dentro.

publicidade

Porém, uma catástrofe de proporções inimagináveis acabou com o nosso videocassete e quase destruiu uma fita VHS com registros de quando o Iberê tinha entre 7 e 8 anos de idade! Imagine a fúria da mãe do Iberê?

O videocassete simplesmente começou a mastigar a fita, sem explicação ou motivo aparente, e fomos obrigados a interromper o nosso vídeo.

Portanto, vamos acompanhar o começo dessa saga, o que conseguimos gravar na primeira tentativa de descobrir o que tem dentro do videocassete e, depois, voltamos para o presente.

Quem nos enviou esse primeiro aparelho foi o nosso amigo Vitor, de Goiânia, ficamos felizes por não ter um tijolo dentro dessa caixa!

Para quem não entendeu e não conhece essa história, antigamente o videocassete custava muito caro e muitos brasileiros iam até o Paraguai comprar o seu aparelho.

Porém, ao voltar para casa eram, na maioria das vezes, surpreendidos, pois dentro da caixa haviam tijolos e não o aparelho desejado.

Felizmente, não foi o caso do Vitor, que foi muito cuidadoso, até mesmo com a embalagem.

Enchendo a caixa com essa espécie de “salgadinho azul” que só nos deixou com vontade, já que não é comestível.

Logo de cara, pudemos notar pela quantidade de botões que é um videocassete muito antigo, pois os primeiros modelos vinham com muitos botões no aparelho.

Era moda, na época, os aparelhos serem complexos.

Conforme foram ficando mais modernos, essa quantidade de botões foi diminuindo, assim como a complexidade.

Aparelhos como este trazem um sentimento saudosista para quem viveu nesta época, como prova disso, o Iberê recebeu uma coleção de fitas antigas ao contar para sua mãe que abriria um videocassete.

Nesta coleção, encontramos alguns filmes gravados na época, pois, como não existia streaming, essa era uma das principais funções do videocassete: gravar filmes, novelas e o que quiséssemos que iria passar na TV para assistir outras vezes e em outros horários.

Deu pra imaginar o quanto estávamos ansiosos para antes mesmo de descobrir o que tem dentro do videocassete, fazê-lo funcionar.

Tiramos a tampa principal para saber como funciona o mecanismo do aparelho e vimos algumas correias frouxas, o que poderia influenciar no seu desempenho.

Como imaginamos, uma das correias foi danificada, mas conseguimos substituí-la e fazê-lo funcionar, mesmo que de ponta cabeça.

Porém, ainda tinha um problema, o videocassete passou a recusar a fita VHS que já estava lá dentro.

Com muita insistência, conseguimos! E mais do que isso, encontramos até uma TV de tubo e testamos para entrar de vez nessa nostalgia.

Dentro do vídeo tinha uma fita da Top Tape, contendo o seguinte título: Aprenda a sambar com Valéria Valenssa.

Conhece esse nome? Valéria Valenssa apareceu toda produzida nos vídeos de carnaval da Rede Globo durante anos, era um momento esperado por todos os telespectadores.

Ela fez história e ficou conhecida como a primeira “Globeleza”.

Estava tudo fluindo bem até que o videocassete começou a mastigar a fita.

A nossa vontade de mostrar e entender o que tem dentro do aparelho e como ele funciona era tão grande que fomos atrás de outro exemplar.

Antes de explicar como funciona o videocassete, precisamos entender melhor sobre a fita VHS, afinal, todo o aparelho foi desenvolvido em função dela.

Explicamos cada detalhe, a função de cada pecinha, cada engrenagem e cada botão, relembramos algumas coisas que eram super modernas para a época e que hoje muita gente nem lembra que existiu.

O videocassete tem algumas peças fundamentais para o seu bom funcionamento, e você vai conhecer mais sobre elas ao assistir o vídeo. Estamos falando sobre o cabeçote, o sensor de áudio, o sensor de velocidade e o apagador.

Por fim, deciframos outros 2 segredos do videocassete:

  • Como os frames são armazenados na fita? – Através de um sistema magnético, diferente de tudo que já vimos e não em algo semelhante aos filmes de cinema como imaginávamos.
  • Por que o sensor por onde a fita passa é torto? – Para utilizar melhor a fita e o seu espaço, os vídeos são armazenados na fita na diagonal, desta forma, o espaço seria suficiente para o filme inteiro.

Com todos os enigmas decifrados e matando um pouco da saudade do videocassete, divirtam-se assistindo ao pequeno Iberê com apenas 8 anos de idade, já mostrando o seu espírito de desbravador do conhecimento e desvendando a natureza!

Acho que vale o seu comentário, não é mesmo?

Se você quer aprender mais sobre magnetismo e todo esse sistema, fizemos um vídeo que usa o cartão para explicar isso, clique aqui e confira!

E se você gosta muito de vídeos, clique aqui e assista esse vídeo onde cortamos ao meio uma câmera analógica.

Deixe seu comentário