O que tem DENTRO da máquina de RAIO-X

publicidade

O raio-x mostra o que tem dentro da gente. Mas, nós vamos te mostrar o que tem dentro de um raio-x! Isso é pura ciência e física!

publicidade

É isso mesmo! A gente conseguiu uma máquina de raio-x e vamos abri-la neste novo episódio do quadro O Que Tem Dentro! Mas, atenção: não repita isso em casa, fechou? E se você já pensou que isso é muito arriscado e pode causar um acidente radioativo, calma! Não é bem assim.

Acidente com radiação

Mais de 30 anos atrás aconteceu um acidente em Goiânia envolvendo radiação. Um equipamento médico foi aberto, e muita gente se contaminou com o material radioativo que tinha lá dentro. Por isso, conversamos com uma especialista no assunto para falar sobre o que de fato aconteceu e se há risco no que vamos fazer.
De acordo com a Prof. Elisabeth Yoshimura, professora titular da USP e especialista em Física da Radiação, a radiação ionizante consegue retirar os elétrons mais ligados aos átomos. Ao fazer isso, transforma-se o átomo em íon, quebrando a ligação química que estava sendo realizada.

O risco existe quando esse átomo pertence a um ser vivo, podendo causar um efeito posterior. No caso dos exames médicos, por exemplo, são utilizadas exposições de baixa intensidade e sempre avaliando os benefícios de um diagnóstico.

Voltando ao acidente de Goiânia, a máquina aberta na ocasião era utilizada em radioterapia. Esta, que é a que vamos abrir, é uma máquina de raio-x e não possui material radioativo internamente.

Mas, afinal, o que vamos encontrar no raio-x?

As máquinas de raio-x têm vários tamanhos, mas todas funcionam de um jeito parecido e tiram a radiografia usando as mesmas técnicas. O que nós vamos abrir é um aparelho desses que você encontra no consultório do dentista.

E o que acontece dentro dessa máquina para conseguir atravessar o nosso corpo até chegar nos nossos ossos?

Dentro do cabeçote da máquina, tem uma câmara de metal lacrado com um óleo, que pode ser tóxico em aparelhos produzidos até 1981. Esse óleo serve para duas coisas:

  • Resfriar todos os componentes que estão lá dentro. Conforme o raio-x funciona, tudo o que tá dentro dessa câmara de óleo esquenta.
  • Como tem uma alta tensão acontecendo ali, mais de 70 mil volts que esse raio-x gera, o óleo também serve para não deixar formar arcos elétricos lá dentro.

Agora sim, dentro da câmara de metal existem dois componentes principais. Um deles é o transformador, que vai pegar a tensão que tem na tomada de 110 ou 220 volts e transformar em alta tensão. Nesse caso, ele vai chegar em mais ou menos 70 mil volts.

Isso é muito acima da alta tensão que tem no microondas, na televisão, de tudo o que a gente tem à nossa volta! É muito alto! Com certeza é a tensão mais alta que a gente já viu aqui no Manual do Mundo.

Como funciona a máquina?

O tubo, ou ampola, é alimentado pela alta tensão, este é o segundo componente que a gente acha dentro da câmara. O tubo é uma peça de vidro que tem duas peças metálicas e entre elas tem vácuo. Essas duas peças não se encostam.

Alguns terminais ligam as peças de cada lado do tubo. De um lado é colocado o pólo positivo e, do outro, o negativo. Só que entre esse positivo e negativo vai ter uma tensão de 70 mil volts. O que vai acontecer? Por causa dessa tensão e porque o tubo tá em vácuo, do ponto negativo vai começar a pular elétrons. Vai formar um feixe de elétrons.

Quando esse feixe chega no lado positivo, tem uma peça de cobre ligada ao terminal. Aí, os elétrons são freados. Quando eles são freados, é emitida uma radiação. Essa radiação eletromagnética, ou seja, essa espécie de “luz” que é emitida, está na faixa dos raios x, que tem uma frequência muito maior do que a luz visível.

Resumindo, os raios x são gerados como uma consequência desse feixe de elétrons que bateu aqui no alvo de cobre e virou radiação. E esses raios vão sair pela boca do cabeçote!

O nosso olho não consegue perceber esse raio, então pra gente ele não faz sombra nenhuma, mas, no FILME fotográfico, ele faz!

Demais, não? Esqueça de compartilhar esse conteúdo com um amigo!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorMais da metade dos lagartos e cobras do Caribe desapareceram
Próximo artigoPesquisas não confiáveis de ciências sociais fazem mais sucesso
Jornalista multimídia e produtora de conteúdo. Curiosa, gosto de ler de tudo um pouco - de livros gigantes até placas de trânsito. Sou fã dos quadrinhos da Mafalda, e todos meus animais de estimação têm nome de comida. Adoro contar uns contos, mas amarro bem os pontos.