Estudante desenvolve máscaras biodegradáveis feitas a partir de recursos naturais

publicidade

As máscaras – sejam elas descartáveis ou não – se tornaram presentes no cotidiano das pessoas desde o início da pandemia ocasionada pela covid-19. Levando isso em consideração, uma estudante resolveu desenvolver máscaras biodegradáveis feitas a partir de recursos naturais.

publicidade

Projeto sustentável

O projeto se trata da produção de máscaras biodegradáveis feitas a partir de recursos naturais: a fibra caulinar do coqueiro e a resina de cajueiro.

Quer conferir mais sobre o projeto? Leia o artigo produzido pelo grupo a seguir:

máscaras-biodegradáveis
As máscaras podem ser feitas a partir de recursos naturais | Divulgação

“Produção de máscaras biodegradáveis”

*Por Lara Bianca Vieira Dias
*Coordenado por Ivana Verciane Vieira da Silva

A aluna Lara Bianca Vieira Dias de 13 anos (10/05/2007), estudante do 9° ano na Escola Municipal José Inácio de Carvalho, juntamente com sua professora, mãe e orientadora Ivana Verciane Vieira da Silva, com graduação em História na UERN- Campus Mossoró Central, ambas residentes de Antônio Martins -RN, criaram o projeto “Fibra caulinar do coqueiro e resina de cajueiro para produção de máscaras biodegradáveis”. O projeto se trata de uma máscara biodegradável feita a partir de recursos naturais, a fibra caulinar do coqueiro (figura 01), resina de cajueiro (figura 02).

A ideia do projeto surgiu quando um dia eu saí na rua para andar de bicicleta e vi toda a poluição causada pelo descarte incorreto das máscaras de proteção que estavam sendo utilizadas contra a COVID-19, como também percebi que várias comunidades carentes ou de difícil localização não possuíam um fácil acesso à máscaras, tendo isso em vista, eu decidi criar uma máscara biodegradável para diminuir a poluição e feita com materiais naturais e abundantes na região de Antônio Martins -RN (e outras regiões), como também difundir a ideia para que qualquer um pudesse fazer sua própria máscara biodegradável com materiais presentes no seu quintal.

máscaras-biodegradáveis
Figura 01 | Divulgação

O maior desafio foi o teste de eficiência da máscara, pois a cidade Antônio Martins -RN não dispõe de laboratórios, seja na escola ou na própria cidade, o laboratório mais próximo ficava na cidade de Mossoró-RN, distante cerca de 150,3 km, então, por motivo da pandemia e do distanciamento fiquei impossibilitada de promover esses testes.

A maior descoberta, foi justamente a conclusão do trabalho com sucesso, que sim, a gente pode criar uma máscara biodegradável com recursos naturais e de fácil acesso, para diminuir a poluição causada pelo descarte incorreto das máscaras e para que comunidades carentes e de baixa renda consigam produzir suas próprias máscaras.

máscaras-biodegradáveis
Figura 02 | Divulgação

A participação na FEBRACE foi uma experiência única, de luta e a realização de um sonho para chegar ali junto com outros alunos, de ter a chance de concorrer com excelentíssimos projetos, de apresentar minha ideia na maior Feira de Ciências da América Latina e ainda ser premiada em meio a tantos outros. Foi incrível, sem explicação.

Para quem quer participar da FEBRACE, deixo aqui a minha dica, DÊ ASAS AOS SEUS SONHOS, BATALHEM E ACRETIDEM, lute junto com seu projeto, colegas e orientador(a), pois chegando na FEBRACE, você vai ter a melhor experiência de sua vida, não irá se arrepender.

*A divulgação desse artigo na íntegra é uma parceria entre o Manual do Mundo e a FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia). Nós convidamos os ganhadores da feira para escrever artigos sobre os projetos que eles desenvolveram. Você pode conferir outros textos como esse aqui.*

Deixe seu comentário

Artigo anteriorA ESTRANHA ORDEM das LETRAS do TECLADO
Próximo artigoFONE de CONDUÇÃO ÓSSEA? Nós testamos!