CATACUMBAS 7 METROS abaixo do CHÃO?

publicidade

A Catedral Metropolitana de São Paulo, também conhecida como Catedral da Praça Sé, é uma das construções mais famosas da cidade de São Paulo. Mas o que muita gente não sabe é que debaixo dela, 7 metros para ser mais exato, existe uma outra construção: uma cripta com restos mortais de figuras importantes da história da capital paulista.

publicidade

Catedral da Praça Sé

A construção da Catedral da Praça Sé, em estilo neogótico, começou em 1916 e terminou cerca de 40 anos depois. A ideia era que o templo ficasse pronto para o 400º aniversário de fundação da cidade.

Isso porque, no começo do século XX, a cidade de São Paulo estava passando por um “boom” econômico, por conta da cafeicultura. Apesar da região da Praça da Sé, na época, contar com duas igrejas, elas não estavam mais suportando a quantidade de pessoas que as frequentavam.

Com isso, foi necessário construir uma igreja maior. Levando isso em consideração, o projeto da Catedral da Praça Sé começou a ser executado. Anos mais tarde a igreja foi inaugurada e ela possui uma estrutura que pode abrigar aproximadamente oito mil pessoas.

Apesar de ter uma cúpula de estilo renascentista, a Catedral Metropolitana de São Paulo é considerada como o quarto maior templo neogótico do mundo.

Cripta da Catedral

A cripta “secreta” da Catedral da Praça Sé é uma dependência subterrânea onde eram enterrados sacerdotes, aristocratas e membros do alto clero -, sete metros abaixo do nível da igreja.

O local conta com 32 gavetas para sepultar pessoas da alta hierarquia da Catedral. Os restos mortais do cacique Tibiriçá e dos padres jesuítas Manuel da Nóbrega e José de Anchieta estão na cripta da catedral.

Além desses, na cripta, também está enterrado o padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão, conhecido por ser um cientista luso-brasileiro e o inventor do balão.

Agora que você chegou até aqui, não esqueça de assistir ao vídeo na íntegra para descobrir outras curiosidades sobre a Catedral da Praça Sé. Não esqueça também de compartilhar esse vídeo com aquele seu amigo que está sempre buscando lugares históricos para conhecer em São Paulo.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorEmpoderamento feminino: como professoras servem de inspiração para jovens
Próximo artigoEnsino remoto brasileiro: grupo desenvolve projeto visando a prática dos estudantes