Mês do desgosto: De onde vem a má fama de agosto?

publicidade

Provavelmente, você já ouviu falar, em algum lugar, na má reputação de agosto – mês do desgosto. Mas isso não surgiu com os memes na internet. O mês com os “31 dias mais longos do ano” rende comentários não tão agradáveis desde o século I.

publicidade

Isso porque os antigos romanos temiam esse período por acreditarem que um dragão cuspindo fogo aparecia no céu durante a noite. Hoje, acredita-se que o que os romanos viam na época era apenas a constelação de Leão, que é uma das maiores, astronomicamente falando, e conta com estrelas muito brilhantes.

agosto-mes-do-desgosto
Além dos acontecimentos datados, há quem acredite que agosto é um mês com muitas tragédias | iStock

Agosto mês do desgosto

Como as histórias se repetem e são passadas de geração em geração, podemos dizer que quase nada se perde. Sendo assim, a má fama de “agosto mês do desgosto” se intensificou ainda mais com as grandes navegações de Portugal, durante a época dos descobrimentos.

Originalmente, na verdade, a expressão surgiu como “casar em agosto traz desgosto”. A mística perpetuava porque, com as partidas das caravelas para o Novo Mundo nessa época, as mulheres que se casavam no mês de agosto acabavam não tendo lua de mel e, pior, ainda corriam o risco de se tornarem viúvas em poucos dias – já que inúmeras pessoas morriam durante a viagem.

As grandes navegações 

Mas será que as caravelas realmente saiam apenas nesse período e, assim sendo, justificam a má reputação de agosto? Fato é que Cristóvão Colombo deixou o porto de Palos, na Andaluzia, Espanha, justamente em 3 de agosto de 1492. A expedição terminou em 12 de outubro quando Colombo encontrou a Ilha de Guanaani, atual Watlig, no arquipélago das Bahamas.

Nesse caso, é certo dizer que, como a grande navegação, do descobrimento da América, aconteceu justamente nesse mês, isso faz jus a fama da possibilidade das mulheres ficarem viúvas em pouco tempo? Na verdade, não…

Outra grande navegação aconteceu – e até mais familiar. Comandada por Pedro Álvares Cabral, desta vez, a frota partiu de Lisboa em 9 de março de 1500 ao meio-dia. A expedição terminou em 22 de abril daquele mesmo ano, quando alguém gritou: “Terra à vista!”.

Assim sendo, colocando na ponta do lápis, não podemos cravar que a viuvez em agosto era tão certa quanto a luz do dia. Contudo, ainda hoje muitas mulheres fogem de dizer o grande sim neste período. Além da má fama, alguns dos motivos, no Brasil, para ter um menor número de casamentos se deve pelos ventos, clima seco, fumaça e a incidência de incêndios.

Para os especialistas, no entanto, a época é perfeita para quem quer economizar. Isso porque, agosto está na chamada “entressafra dos casamentos” por ser pouco procurado pelas noivas.

Mês do cachorro louco

Outra expressão bem comum de ouvir no agosto mês do desgosto é o “mês do cachorro louco”. A origem da fama, claro, mais uma vez acontece porque, supostamente, segundo as más línguas, agosto é o mês com maior incidência de cadelas no cio. Por conta desse acontecimento, os machos brigam entre si.

Esses embates acarretariam em um outro problema: a proliferação da raiva. Como a doença é transmitida quando um cachorro infectado morde outro, o circo, no caso, estaria armado. Levando em conta que quando os cães ficam com raiva eles espumam pela boca, a má reputação pegou e eles ganharam a fama de “loucos”.

No entanto, isso também não pode ser levado ao pé da letra, tendo em vista que as fêmeas entram no cio a cada seis meses com duração de aproximadamente 21 dias cada um e isso vai variar de acordo com cada fêmea.

Agosto mês do desgosto ou percepção de tempo?

Além de todos esses pontos relacionados acima, há quem acredite que o mês de agosto é azarado por si só. Mas, o que pode justificar muito toda essa fama, friamente falando, são as circunstâncias do mês.

“Agosto é um mês muito diferente dos demais. Ele é um mês de volta de férias escolares, é o único mês que não tem feriado federal e, além disso, ele vem seguido de outro mês que também conta com 31 dias”, explica o físico e um dos cientistas do Manual do Mundo, Roberto “Pena” Spinelli.

“Nesse caso, agosto possui algumas características que o tornam menos divertido. Porque você não tem muito com o que se distrair. Quando você está prestando atenção no tempo ele passa devagar, mas quando você está se divertindo, se ocupando, o tempo passa mais rápido”, acrescenta Pena.

Com teorias e achismos, podemos concluir apenas que há gosto para tudo – inclusive para os meses do ano.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorRelógio, capacho e outros: Aprenda no dia a dia com o Manual do Mundo
Próximo artigoUMIDIFICADOR de AR: O SEGREDO em uma PEÇA