A ÁGUA gira ao CONTRÁRIO nos ESTADOS UNIDOS?

publicidade

Você já ouviu falar que a água gira ao contrário no ralo da pia, ou seja, em sentidos opostos, quando analisamos os países do hemisfério sul e do norte? Bom, como se isso não fosse o bastante para deixar a nossa cabeça perplexa, vai aí outra bomba: há quem diga que na linha do equador, a água não forma nenhum redemoinho, mas sim, cai sem girar no ralo.

publicidade

A água gira ao contrário?

Sem mais mistérios, vai aqui a resposta para essa pergunta: sim! Mas calma, vem com a gente acompanhar toda explicação porque a coisa não é tão simples assim. Como somos verdadeiros desbravadores do conhecimento, claro que a gente vai explicar tudo de um jeito fácil para vocês.

Primeiramente, é importante destacarmos que toda essa “loucura” tem uma lógica científica. Isso porque, existe uma força inercial chamada Efeito Coriolis, que faz com que a água, em algumas situações, gire no sentido horário no hemisfério norte, e no sentido anti-horário no hemisfério sul.

Inclusive, essa força inercial é o que define o sentido das correntes marítimas. Para quem ficou curioso, basta pegar um mapa ou globo e observar as flechas que ficam presentes por ali. Elas indicam e evidenciam os sentidos das correntes que existem no oceano. E sabe o que é ainda mais curioso? Essa regra se aplica da mesma forma para os furacões e tufões. Doido, né?

Mas, afinal, como a água sabe o sentido que ela deve seguir? A questão é que ela não sabe. Isso simplesmente acontece por causa da rotação da terra.

Nós testamos ao redor do mundo

Bom, e como a gente adora uma experiência, fomos fazer o teste na prática em inúmeras pias ao redor do mundo para descobrir se a água gira ao contrário.

E se você está ansioso para saber qual foi o resultado a gente te conta agora: foi aleatório!

Que, como assim? Calma que a gente te explica! Na prática, os sentidos foram desonerados. Ou seja, ora percorriam o caminho previsto pelo Efeito Coriolis e ora não.

Bom e sabe por que isso aconteceu? A rotação da terra, de fato, impacta no sentido que a água vai formar redemoinhos e furacões, mas isso não se “aplica” a pias e vasos sanitários, por exemplo, porque no caso do globo, estamos tratando de uma área gigantesca, ou seja, essa interferência na rotação faz sentido.

No caso dessas poças de água que criamos em pias, por exemplo, o efeito é muito pequeno e chega a ser imperceptível.

Nesses testes caseiros, nós percebemos que na verdade o resultado muda por conta de outros fatores. Vai depender da posição que você está despejando a água em determinado recipiente, do formato da torneira e da pia, e até mesmo da quantidade de água que está sendo derramada ali.

Por exemplo, se você derramar a água mais a esquerda, ela vai pegar um leve embalo e rodar no sentido horário, mas, caso você jogue a água um pouco para a direita, ela vai girar no sentido anti-horário. Se a ideia é fazer com que a água desça bem reta, sem formar redemoinhos, a solução é despejar o líquido no meio do recipiente, porque assim ele forma pequenos redemoinhos dos dois lados, o que faz com que eles se “anulem”.

E aí, gostou desse experimento? Bom, então não deixe de compartilhar com aquele seu amigo que adora uma curiosidade.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorMatemática inclusiva: projeto promove ensino e conscientização
Próximo artigoDivulgação é tão importante quanto ensino, afirma Lucas Rosa