Por que o Rio Negro e o Rio Solimões não se misturam?

publicidade

Perto de Manaus, o Rio Solimões (de águas claras e barrentas) se encontra com o Rio Negro (com águas limpas e escuras), formando o maior rio do planeta, o Amazonas.

publicidade

O interessante é que as águas claras e escuras permanecem lado a lado por muitos quilômetros sem se misturar, criando um fenômeno conhecido como “Encontro das águas”.

Passei por lá em 2009 e posso dizer que, mesmo bem de pertinho, é possível ver as duas cores bem separadas, como se existisse um muro invisível entre elas. Dê uma olhada na foto que eu tirei:

encontro-das-aguas-rio-negro-e-solimoes1

Isso acontece porque as águas do Solimões são mais frias que as do Negro, dificultando a mistura. Além disso, apesar de os dois rios serem lentos, o Solimões desce um pouco mais rápido, e isso também contribui para que as águas se mantenham separadas.

Confira, abaixo, uma foto tirada pela Nasa:

encontro-das-aguas-rio-negro-e-solimoes

Esse lugar #meinspira a querer aprender cada vez mais sobre cada segredinho da Química e da Física que faz o nosso planeta tão belo 🙂

Quer ler mais Dúvida Cruel? Então clica aqui.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorComo fazer uma catapulta com latinhas de alumínio
Próximo artigoPor que soluçamos?
Mari Fulfaro é CEO e cocriadora do Manual do Mundo. É host do programa científico "Pode isso, Mari?", veiculado pelo UOL, o maior site de notícias do Brasil.