Trazendo uma especialista para a conversa

publicidade

“Ah, porque eu acho que aquela série é neogótica”, “É nada, é claramente inspirado nos políticos contemporâneos”, “Aquele personagem com certeza não foi bem construído”. Muitas vezes a gente é capaz de fazer complicadas análises a respeito de livros e adaptações. Mas quanto conhecimento de fato carregamos? É o que a comunicadora Clara Matheus quis (e está conseguindo) trazer pra mesa: a especialista, aquela pessoa que estuda narrativas.

Clara Matheus estudando literatura

A graduação

publicidade

Clara Matheus é doutoranda em Estudos Literários, roteirista freelancer e pesquisadora. Já possui um mestrado na mesma área, e vem desenvolvendo sua expertise desde a graduação no curso de Letras da UFMG, em Minas Gerais. Há três anos, no intervalo entre o fim de seu mestrado e o começo de seu doutorado, se uniu a Tavos Machado e Leonardo de Oliveira para a construção do projeto Mimimídias, que conta com um canal no YouTube e um podcast. O canal traz o design e a literatura pra dentro do universo da divulgação.

O começo do estudo de intermidialidade, quando mídias, como literatura e cinema se encontram, por exemplo, aconteceu ainda durante os primeiros anos na Universidade. Foi analisando a maneira como, no Twitter, um perfil de uma companhia de teatro encenou a obra Romeu e Julieta que Clara encontrou seu foco de estudo.

Com total suporte de professoras, pode começar o seu desenvolvimento. Já durante o mestrado analisou as diferenças de obras encenadas no Twitter e em outra plataforma, o Google plus, e percebeu que o modo era diferente, que possuía suas peculiaridades. Estudar essas adaptações e como elas podem ser encaradas ainda consome muito do tempo de estudo e pesquisa da Clara. Aprender com outros estudiosos, trocar experiências, analisar o que outros têm a dizer, e também expor seus posicionamentos fundamentados são partes essenciais para se tornar uma especialista na área.

Clara Matheus em uma de suas palestras

Redes Sociais

Continuar os estudos que começou durante o doutorado pareceu ser o caminho mais adequado pra Clara. Ela conseguiu, através da ajuda de mais especialistas, definir um caminho claro para seus estudos: compreender as adaptações às novas mídias disponíveis.

Com bastante empolgação, Clara fez comparações de romances escritos no passado (como no romance Frankenstein, de Mary Shelley) com nossas “cartas contemporâneas”, os tweets, as postagens em redes sociais. É através do método de estudo da literatura já existente, das teorias literárias, que Clara vai construindo seu pensamento e muito provavelmente conseguirá seu título de doutora em estudos literários. Entender essa adaptação para novas formas de adaptar livros, adaptar literatura, ainda consumirá muitas horas de estudos da Clara. Pra nossa sorte ela está se comunicando na internet.

Ter acumulado todo esse conhecimento e tê-lo só pra si e para poucos pares era algo que angustiava a Clara, angústia compartilhada com os integrantes do Mimimídias. Foi para ocupar esse espaço ainda pouco explorado no YouTube, o espaço dos especialistas em mídia falando sobre mídias, que eles começaram o projeto. Essa angústia inicial foi posta ao chão quando, por exemplo, milhares de pessoas puderam acompanhar um vídeo onde a Clara apresenta um de seus estudos favoritos. Algo que torna-se possível através das redes, da comunicação de estudos acadêmicos para o grande público.

Ocupando um espaço

Podemos encontrar diversas pessoas discutindo sobre narrativas na internet, a maioria delas usando de sua história pessoal, sem necessariamente possuir anos de estudo na área. E é muito bom que essas pessoas estejam compartilhando suas visões sobre as obras. E é muito bom também que os especialistas tenham seu espaço, pois o lugar que ocupam é muito peculiar, é único, é de alguém que passa anos estudando a literatura. É muito mais do que uma opinião, é um posicionamento, baseado em estudos, em extensa pesquisa. É isso que separa um especialista de um leigo. Alguém como a Clara e eu. Eu darei minha opinião sobre uma obra, a Clara exporá seu posicionamento. Posso aprender com ela, e aumentar muito meu leque de ferramentas para usar quando estiver analisando outras obras, outras adaptações.

Clara Matheus em frente a um dos cenários do canal Mimimídias

Diminuir a estranheza que algumas pessoas podem ter ao ver um especialista se comunicando na internet é um dos objetivos da Clara. Ocupar o espaço do especialista e também falar desse lugar. Quanto maior a exposição das pessoas a essas visões vindas de estudo, menor o incômodo que algumas pessoas podem sentir, e mais expandido torna-se seu conhecimento sobre estudos literários.

Super poderes

Segundo Clara, a literatura é uma ferramenta de empatia muito impressionante. Quando a gente abre um livro de literatura é como se a gente tivesse pensando com aquelas palavras, pensando com a mente de uma outra pessoa. A gente abre o espaço dentro da nossa cabeça para ouvir a voz de outro. Você vai acumulando experiências que você não viveu por meio da literatura. 

Uma pessoa mais simpática, que entende melhor experiências que não são as suas pode, através da literatura, estar pronta para enfrentar determinados dilemas. Encontrar soluções para resolvê-los antes deles aparecerem em sua vida.

E trabalhar nossa empatia, nos colocarmos no lugar dos outros, é uma das melhores ações que podemos ter para nos tornarmos melhores indivíduos.

Sucesso, Mimimídias.

Espero encontrar você sempre por aqui. Tchau.

Quer conhecer mais histórias inspiradoras de mulheres na ciência? Confira abaixo!

► Espalhando ideias
► Comunicadora, Pesquisadora, Professora
► Comunicando História
► Da audiência para a exposição

 

 

Deixe seu comentário