Os sons da natureza como você nunca ouviu

publicidade


publicidade

Uma das trilhas sonoras preferidas para relaxamento e meditação, sem dúvida alguma, são os sons da natureza.

A chuva caindo, as folhas das árvores balançando ao vento, a sinfonia de insetos e animais… Poucos “barulhos” podem ter um efeito tão pacificador e tranquilizante que a orquestra de sons naturais.

Para descansar, ou mesmo cuidar dos afazeres do escritório, é possível simular um dia na floresta, através de sites e aplicativos. Muitos dos posts do blog do Manual do Mundo, inclusive, são feitos ao som do inusitado site “Jazz and Rain” (“jazz e chuva”), com a deliciosa e quase melancólica paz trazida por uma boa música num dia chuvoso.

Só que alguns artistas decidiram levar essa coisa de “apreciar os sons da natureza” para um outro nível mais além…

Neste vídeo publicado em 2010 foi apresentado o projeto “Fruit Loops”, uma suposta experiência maluca de um tal de Montanaro, “professor de engenharia eletro-estática brasileiro radicado na Alemanha” que teria decidido revolucionar a música eletrônica com uma técnica pioneira que permitiria extrair música das frutas.

Confira com seus próprios olhos (e ouvidos):

Por mais que pareça real e até faça algum sentido, essa história não passa de uma brincadeira do extinto canal “TV Chacota”, mas acabou se transformando em uma espécie de “profecia” para o surgimento de um experimento semelhante, mas dessa vez real.

Em 2012, em homenagem ao Dia da Terra, a empresa de produtos naturais Burt’s Bees se uniu ao compositor Diego Stocco para criar uma música inteiramente produzida com elementos da natureza, captando seus sons de todas as formas possíveis.

Veja (e ouça) o resultado:

Mais recentemente, o músico alemão Bartholomäus Traubeck criou um equipamento similar a um toca-discos capaz de transformar os anéis do tronco de uma árvore em notas musicais.

Contudo, ao invés de uma agulha tradicional capaz de ler os sulcos de um disco, ao colocar uma “fatia” de árvore sobre a plataforma giratória, diversos sensores reúnem informações sobre a cor e a textura da madeira, usando um algoritmo para “traduzir” as variações em notas de um piano.

O resultado são músicas diferentes para cada tipo de árvore: o músico conseguiu gravar um álbum inteiro a partir de pinheiros, freixos, carvalhos, bordos, nogueiras, amieiros e faias. Confira abaixo:

Quer descobrir outras maneiras muito estranhas de fazer música?

» Gambiarras transformam tecnologias antigas em orquestras eletrônicas

» Fazendo música no laboratório de química

» Conheça o DJ que coloca fogo na pista de verdade

Deixe seu comentário