Inovação no ensino virtual: projeto visa conciliar tecnologia e qualidade

publicidade

A pandemia, ocasionada pela covid-19, fez com que alunos de diversas partes do mundo tivessem o seu ambiente escolar alterado para o ensino remoto. Segundo o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), atualmente, no Brasil, 91% dos alunos de 4 a 17 anos continuam estudando em casa. Com a pouca previsão de melhora em um futuro próximo, o que muitas pessoas buscam é a inovação no ensino virtual.

publicidade

Inovação no ensino virtual

Foi em busca dessa melhoria que nasceu o projeto “Desenvolvimento de software para simulação de sistemas fotovoltaicos em ambiente 3D para aplicação no ensino virtual”. A concepção do projeto se deu a partir de um problema ocasionado pela pandemia.

Isso porque, em março de 2020, um curso de capacitação na área de sistemas fotovoltaicos foi cancelado pelo CEFET-MG para promover o isolamento social. Em busca de soluções para atenuar o problema, especialmente para sistemas fotovoltaicos, um grupo de estudantes percebeu que existe uma lacuna na literatura e no mercado no que diz respeito a simulações em campo de sistemas fotovoltaicos considerando ambiente 3D.

A partir daí o projeto de pesquisa teve o objetivo desenvolver um software para simulação em ambiente 3D de sistemas fotovoltaicos para auxiliar as aulas práticas buscando a inovação no ensino virtual.

Quer conferir mais sobre o projeto? Leia o artigo produzido pelo grupo a seguir:

Inovação-no-ensino virtual
A concepção do projeto nasceu a partir de um problema ocasionado pela pandemia de COVID-19 | Divulgação

“Software para simulação de sistemas fotovoltaicos”

*Por Samuel Raimundo Lopes Pinto e Vinícius Alves Trindade
*Coordenado por Listz Simões de Araújo e Bruno Macedo Gonçalves

De onde surgiu a ideia do projeto?
A concepção do projeto nasceu a partir de um problema ocasionado pela pandemia de COVID-19. Em março de 2020, um curso de capacitação na área de sistemas fotovoltaicos foi cancelado pelo CEFET-MG para promover o isolamento social. Em busca de soluções para atenuar o problema, especialmente para sistemas fotovoltaicos, percebeu-se que há uma lacuna na literatura e no mercado no que diz respeito a simulações em campo de sistemas fotovoltaicos considerando ambiente 3D. Neste contexto, o projeto de pesquisa teve o objetivo desenvolver um software para simulação em ambiente 3D de sistemas fotovoltaicos para auxiliar aulas práticas.

A equipe de desenvolvimento acreditou que o software poderia fazer parte do curso de capacitação e, desse modo, poderia permitir a qualificação de profissionais, sobretudo de eletricistas, mesmo durante o período da pandemia. Na visão dos autores, o projeto contribuiria efetivamente para a melhoria do ensino público e de qualidade, que poderia promover o desenvolvimento social e econômico local.

Quais foram os maiores desafios?
Ao longo do desenvolvimento do projeto, diversos desafios foram superados com muita dedicação, empenho e perseverança. A cada desafio superado, os autores ganhavam confiança e sabiam que podiam ir além. Já no início do projeto, os autores enfrentaram o primeiro desafio, visto que o projeto era audacioso e complexo. Tendo em vista tal complexidade, houve a necessidade de realizar bom planejamento, com divisão do trabalho em etapas para que se conseguisse cumprir o cronograma estabelecido. Outro desafio importante foi a falta de experiência dos autores na área de programação e no desenvolvimento de ambiente 3D, ressalta- se que todas as técnicas aplicadas foram apreendidas durante o desenvolvimento do trabalho. O grande desafio do projeto consistiu na implementação de modelos matemáticos complexos de células fotovoltaicas que requeriam, em algumas vezes, conhecimentos de cálculo avançado do ensino superior. Recorrentemente, os autores entraram em contato com os professores orientadores para implementar uma solução válida, que representasse as características de desempenho de módulo fotovoltaico real. Ademais, é importante mencionar que o projeto é pioneiro e original, portanto, a maioria das funções programadas foi desenvolvida sem referências na literatura.

Inovação-no-ensino virtual
Projeto busca utilizar a tecnologia para melhorar o ensino | Divulgação

Quais foram as maiores descobertas?
Muitas descobertas aconteceram no decorrer do projeto, já que foi a primeira experiência de pesquisa dos autores. Neste aspecto, ressalta-se que os autores desenvolveram a capacidade de resiliência, visto que após a conclusão do projeto, eles descobriram que não há limites para uma mente motivada e determinada. Um bom projeto se faz a partir da pesquisa de referências bibliográficas de qualidade. Descobriu-se que há disponível gratuitamente na internet várias referências bibliográficas, isto foi fundamental para desenvolver o trabalho. Além disso, os autores descobriram que qualquer situação real pode ser simulada em uma plataforma computacional se houver um modelo matemático que reja o sistema em questão.

Como foi participar da FEBRACE?
A participação na FEBRACE foi considerada pelos autores como um sonho realizado, visto que é a feira mais importante do Brasil nesta área. A sensação de representar a cidade de Curvelo e o Estado de Minas Gerais em um evento nacional foi incrível, pois houve muito trabalho para alcançar esta posição. Os autores têm certeza de que a participação e a premiação será um marco na vida deles, será lembrado eternamente como evento introdutório de muitas outras pesquisas.

Quais dicas daria para quem quer participar de uma feira de ciências?
A primeira dica é ser observador, entender o mundo que está ao seu redor, assim, será possível escolher um tema relevante e que atenda as necessidades atuais da sociedade. Uma vez definido o tema, necessita-se montar uma boa equipe de trabalho, além de escolher um orientador competente na área da pesquisa. Outra dica importante é estruturar e planejar a execução do projeto, elaborando um plano de ação com metas definidas e claras. À medida que se evolui no projeto, é recomendável que se faça anotações periodicamente, construindo assim um diário de bordo. A dica mais importante é acreditar em você e no seu trabalho, nunca deve pensar em desistir. Nos momentos mais difíceis, ter calma e siga em frente.

*A divulgação desse artigo na íntegra é uma parceria entre o Manual do Mundo e a FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia). Nós convidamos os ganhadores da feira para escrever artigos sobre os projetos que eles desenvolveram. Você pode conferir outros textos como esse aqui.*

Deixe seu comentário

Artigo anteriorSaúde mental dos estudantes: pesquisa aponta dificuldades dos jovens durante a pandemia
Próximo artigoFizemos a BOLA PERFEITA de ÁGUA LÍQUIDA COMESTÍVEL!