“O conhecimento serve para mudar as pessoas, não para se exibir”, diz criador de “Alimente o Cérebro”

publicidade

Um canal no Youtube que une conhecimento e arte? O nome “Alimente o Cérebro” não poderia ser mais coerente. Afinal, os vídeos estimulam o público a refletir sobre diversas questões complexas, mas também muito interessantes, de forma simples e didática.

publicidade

alimente o cérebro

Embora já tenha conquistado bastante sucesso na plataforma, com quase 200 mil inscritos, o “Alimente o Cérebro” começou como um projeto no Facebook, que depois se desenvolveu em um site e, por fim, chegou ao Youtube. Além de todo o sucesso, o canal possui o selo SVBR, pertencente ao projeto Science Vlogs Brasil, que valoriza, une e divulga criadores de conteúdos confiáveis na plataforma.

Alguns vídeos de maior destaque do canal são “Mapa mental de Nietzsche” e “Vale a pena fazer faculdade de astronomia?“. Porém, o favorito de Devanil Júnior, criador e apresentador do canal, é “A vida é uma luta contra a entropia“. “Foi um momento em que compreendi um conceito científico para além da sua explicação natural e o adaptei a uma filosofia de vida na qual acredito até hoje. Somos todos guerreiros lutando contra a tendência natural de desorganização e caos do universo”, explica.

alimente o cérebro

Alimente o Cérebro: ganhos e desafios

Desde o início, Júnior é quem faz tudo acontecer, acreditando que o conhecimento serve para mudar as pessoas, e não para se exibir. “Eu sempre me lembro do que Carl Sagan falava sobre o porquê ele comunicava: quando você aprende algo é como se você estivesse apaixonado, você quer contar para todo mundo. E esse tem sido meu motivo principal para continuar produzindo: não consigo aprender algo novo e interessante e manter apenas para mim, todo mundo precisa saber”, conta o profissional.

Ao longo de sete anos, pouca coisa mudou por trás das câmeras: Júnior ainda usa a mesma câmera, fez alguns investimentos em áudio e iluminação e, recentemente, contratou uma pessoa para editar seus vídeos. Para ele, as maiores dificuldades de criação de conteúdo on-line são se adaptar ao algoritmo, que está sempre se modificando, e conciliar a monetização com conteúdos que gosta de criar.

Apesar dos desafios, ele se orgulha em estimular as pessoas a crescerem por conta de seus conteúdos. “Seja uma escolha de faculdade, ou uma mudança de como lidar com a vida, tudo isso me lembra que o objetivo final do “Alimente o Cérebro” é impactar as pessoas”.

Para conhecer todos os conteúdos no Youtube e estimular seu conhecimento sobre ciência e arte, clique aqui.

Deixe seu comentário

Artigo anteriorDá pra viajar POR FORA do AVIÃO???
Próximo artigoCores e sentidos: projeto proporciona inclusão de pessoas com deficiência visual
Jornalista e produtora de conteúdo. Desde criança, amo escrever e refletir sobre diversos assuntos. Faço questão de estar imersa nas redes sociais (minha favorita é o Instagram), e séries e filmes têm sempre um espacinho reservado no meu tempo livre. Como uma boa fã de Friends, acredito que um pouco de descontração é fundamental para levar a vida da melhor forma possível.