Mais da metade dos lagartos e cobras do Caribe desapareceram

publicidade

Há 500 anos atrás, os exploradores europeus chegaram ao Caribe. De acordo com um novo estudo, eles alteraram todo o ecossistema do local. Cerca de 70% das cobras e lagartos que viviam em algumas ilhas podem ter desaparecido. Este fato se deve, principalmente, à presença de gatos, ratos e guaxinins que vieram junto com os colonos.

publicidade

lagarto

 

A ciência ainda conta com poucas informações sobre os lugares em que lagartos, cobras e outros répteis vivem, em comparação a animais mais conhecidos. Também não existem muitas evidências sobre a história deles. Mas já se sabe que essas espécies têm papéis muito importantes em seus ecossistemas. Afinal, elas polinizam plantas, comem insetos e pequenos animais, e servem como alimento para animais maiores.

Juntamente com sua equipe, Corentin Bochaton, zooarqueóloga do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, visitou um ponto importante da biodiversidade do Caribe: cavernas escavadas em seis ilhas em Guadalupe, um conjunto de ilhas governadas pela França no leste do Caribe. Após peneirar a sujeira em várias camadas do chão da caverna, além de passar pelos achados das escavações anteriores, eles coletaram dezenas de milhares de fragmentos ósseos.

Descobertas

Cerca de 43 mil fósseis foram desenterrados. Depois, os pesquisadores identificaram 16 tipos diferentes de lagartos e cobras e os dividiram em quatro grupos, separados por idade.

De acordo com a revista Science, uma ilha teve a presença de pelo menos quatro tipos de cobras e cinco tipos de lagartos há 11 mil anos. Mas nenhum deles existe atualmente. Isto é, foram substituídos por quatro outras espécies de lagartos: duas delas apareceram pela primeira vez cerca de 2 mil anos atrás, e as outras duas chegaram depois dos europeus. Acredita-se que as novas espécies chegaram de outras partes do Caribe.

Nos últimos 40 mil anos, ao menos 13 espécies de répteis prosperaram antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1493. Em média, metade dessas populações desapareceram em 350 anos da presença dos europeus. Além disso, ao menos três cobras e cinco espécies de lagartos foram extintas. Algumas ilhas perderam até 70% de suas espécies de répteis. Os pesquisadores acreditam que os lagartos podem ter sido vítimas de animais que chegaram com os europeus, ou não resistiram depois de perderem seus habitats para campos de cana-de-açúcar e pastagem.

Não está claro o que essas perdas representaram para os ecossistemas insulares, mas as descobertas são um pouco preocupantes, ressalta Jonathan Losos, ecologista evolucionário da Universidade de Washington, em St. Louis, que não participou da pesquisa.

Fonte: Science Magazine 

Deixe seu comentário

Artigo anteriorBALÃO de MÁSCARA voa mesmo? Nós testamos!
Próximo artigoO que tem DENTRO da máquina de RAIO-X
Jornalista e produtora de conteúdo. Desde criança, amo escrever e refletir sobre diversos assuntos. Faço questão de estar imersa nas redes sociais (minha favorita é o Instagram), e séries e filmes têm sempre um espacinho reservado no meu tempo livre. Como uma boa fã de Friends, acredito que um pouco de descontração é fundamental para levar a vida da melhor forma possível.