“Laboratório 2000”: relaxe aprendendo da ciência ao futurismo

publicidade

Você já ouviu falar que trabalho em família não dá certo? Os irmãos Leonardo e Ricardo de Souza são uma prova de que isso não é verdade! Juntos, eles comandam dois canais científicos incríveis no Youtube: um deles é o “Minuto da Terra“, que conta com vídeos de poucos minutos ou até mesmo segundos de duração. E o outro, que será o nosso assunto de hoje, é chamado “Laboratório 2000“. Com vídeos mais longos e com o objetivo de explicar de forma mais completa sobre assuntos como ciência, tecnologia, história, futurismo e sustentabilidade, este aposta em um estilo criativo e relaxante.

publicidade

laboratório 2000

“O “Laboratório 2000” está prestes a completar três anos de vida. Na época, eu e o Ricardo não tínhamos muita liberdade para produzir conteúdo no “Minuto da Terra” (que é a tradução oficial do canal “MinuteEarth”). Além disso, tínhamos vontade de contar histórias que tivessem a ver com o Brasil também (diferente do “Minuto da Terra”, que tem um foco mais geral)”, explica Leonardo, administrador de empresas por formação.
laboratório 2000
Com certeza, criar o “Laboratório 2000” foi uma boa escolha. Afinal, o canal já possui mais de 20 mil inscritos e o selo SVBR, que valoriza e divulga conteúdos confiáveis no Youtube. O vídeo de maior sucesso é “Azul é a cor mais rara“, que explica o porquê o azul do céu, dos olhos e do oceano não passa de uma ilusão. Já o favorito de Leonardo é “TUTORIAL: o que fazer quando encontrar um alienígena?“. Sobre o motivo, o profissional brinca: “parece estranho, eu sei, mas é legal. O bom do nosso canal é que, assim como um verdadeiro laboratório, a gente pode testar várias formas de contar uma história”.

Mudanças no “Laboratório 2000”

Os irmãos estão planejando uma nova estratégia de conteúdo para o canal, que também envolverá mídias sociais como TikTok e Instagram. Além do formato tradicional do Youtube, haverá o investimento em vídeos curtos e verticais e uma maior frequência de publicações.
Ricardo é designer gráfico e editor de vídeos. Enquanto ele cuida da parte audiovisual, Leonardo é mais focado no roteiro e na parte administrativa. “Gostamos muito de aprender coisas novas. Ter um canal de ciência é uma batalha, mas a gente tenta enxergar como uma missão: levar informação e aprendizado a todos”.
laboratório 2000
Quando o assunto são as expectativas para o futuro da divulgação científica, Ricardo tem uma visão positiva. “Espero que se torne mais acessível. A gente sabe que ciência não é o assunto mais consumido nas redes sociais, e isso tem um sério impacto em tudo, mas aos poucos estamos vendo canais e divulgadores grandes fazendo coisas incríveis. O próprio impulsionamento dos conteúdos curtinhos (shorts/reels/tiktok) pode ser uma virada para nós”.
Ficou ansioso para o que vem por aí? Você pode acessar todos os conteúdos do canal no Youtube “Laboratório 2000clicando aqui.
Deixe seu comentário

Artigo anteriorTemos a TOMADA mais SEGURA e podemos provar!
Próximo artigoAplicativo “Conexão Cidade” busca conectar pessoas aos espaços públicos
Jornalista e produtora de conteúdo. Desde criança, amo escrever e refletir sobre diversos assuntos. Faço questão de estar imersa nas redes sociais (minha favorita é o Instagram), e séries e filmes têm sempre um espacinho reservado no meu tempo livre. Como uma boa fã de Friends, acredito que um pouco de descontração é fundamental para levar a vida da melhor forma possível.