Foca-elefante fêmea dorme apenas uma hora por noite

publicidade

Dormir pouco faz diferença na sua rotina? Para a foca-elefante fêmea, não há prioridade para descanso. Isso porque após a temporada de reprodução no inverno, elas passam de 19 a 24 horas por dia caçando no norte do Oceano Pacífico.

publicidade

De acordo com um novo estudo publicado pela revista Science, esses animais matam até 2 mil peixes pequenos por dia para sobreviver. A pesquisa foi feita com câmeras e dispositivos conectados às cabeças das focas-elefante, e também pode ajudar os cientistas a monitorarem outras formas de vida existentes no oceano.

Os elefantes marinhos do norte são realmente um mistério. Eles aparecem em terra somente duas vezes por ano, em algumas praias da costa do Pacífico. Isso costuma acontecer no final de dezembro ou início de janeiro, seja para acasalar ou dar à luz, e cerca de 2 meses depois para trocar o pelo.

Durante o tempo restante, ou seja, quase 10 meses por ano, eles pescam. Os machos podem pesar até 2 toneladas e caçam peixes grandes perto da costa. As fêmeas, que têm cerca de um terço do tamanho, caçam peixes menores em uma região de alto mar conhecida como zona crepuscular. Outro fato interessante é que, para se alimentar da zona, com profundidades de 1.500 metros, elas devem prender a respiração por até uma hora e meia.

De 80 a 100% do tempo buscando peixes

Pesquisadores japoneses e americanos decidiram investigar como a foca-elefante fêmea sobrevive somente com peixes pequenos. Por isso, instalaram câmeras de vídeo infravermelho com sensores de profundidade nas cabeças de 48 elefantes-marinhos fêmeas. Além disso, conectaram rastreadores GPS e um dispositivo diferenciado que contava cada vez que um selo abria sua boca.

Após o registro de mais de 200 mil mergulhos durante dois meses e meio entre as temporadas de reprodução, os pesquisadores descobriram que as focas passam dia e noite, de 80 a 100% do tempo, mergulhando em busca de peixes. Durante o estudo, as fêmeas quase não dormiam. Quando decidiam obter esse descanso, era por menos de 2 horas por dia.

Porém, o estilo de vida cansativo, que talvez dure todo o tempo em que as mulheres estão no mar, pode compensar em certos pontos. Isso porque é uma maneira de ajudá-los a recuperar a gordura que perdem em terra, quando não comem. Durante os primeiros 2 meses de volta ao mar, as fêmeas ganharam cerca de 100 quilos.

Fonte: Science Magazine

Deixe seu comentário

Artigo anteriorA árvore de PRATA que cresce em SEGUNDOS!
Próximo artigoTestamos o VIRAL das BEXIGAS: é VERDADE?
Jornalista e produtora de conteúdo. Desde criança, amo escrever e refletir sobre diversos assuntos. Faço questão de estar imersa nas redes sociais (minha favorita é o Instagram), e séries e filmes têm sempre um espacinho reservado no meu tempo livre. Como uma boa fã de Friends, acredito que um pouco de descontração é fundamental para levar a vida da melhor forma possível.