Celulares Android avisarão usuários sobre terremotos

publicidade

Já pensou se o seu celular pudesse salvar sua vida? O Google anunciou que os usuários de telefones Android na Nova Zelândia e na Grécia receberão avisos de terremotos próximos de atingir suas localizações.

publicidade

celulares detectarão terremotos

 

Em ambos os países, os terremotos são ameaças frequentes. Na Nova Zelândia, a Placa do Pacífico colide com a Placa Australiana e essa interação costuma causar terremotos notáveis. Em 2011, por exemplo, ocorreu um choque em Christchurch que matou cerca de 200 pessoas. Já a Grécia está espalhada em cima de três placas tectônicas, e os terremotos prejudiciais acontecem quase anualmente.

Porém, nenhum dos países conta com um sistema de alerta operacional contra esse tipo de ameaça. Segundo Marc Stogaitis, engenheiro-chefe do projeto no Google, este fato motivou a ação da empresa. “Temos dois grandes problemas que queremos resolver: detectar terremotos o mais rápido possível e enviar alertas o mais rápido possível.”

Como funcionam os alertas

Os sistemas de detecção se baseiam no fato de que a velocidade do alerta de emergência, enviado pelas redes de comunicação, é maior que a velocidade das ondas de impacto de um terremoto. Portanto, os sistemas de alerta tradicionais tiram vantagem disso, usando sismômetros a fim de detectar o tamanho e a magnitude de um terremoto. Depois, retransmitem um aviso, por meio de antenas ou alto-falantes, para os moradores de regiões que provavelmente serão afetadas pelo terremoto. Embora sejam eficientes, estes sistemas são caros e complicados de se desenvolver, principalmente pela rede complexa de equipamentos e sensores necessários.

O que o Google percebeu é que o problema dos sensores poderia ser resolvido com os celulares. Já que os smartphones vem de fábrica com acelerômetros capazes de serem adaptados para essa função. Com a adaptação eles detectam a perturbação característica de terremoto e enviam a notícia, junto com uma localização, para um servidor central. Um sistema tradicional de alerta precisa de apenas quatro estações sísmicas para detectar um terremoto. Por outro lado, mais de 100 celulares precisam sentir o tremor para confirmar a detecção. Por último, alertas de tela cheia chegam em telefones localizados em regiões com probabilidade de receber agitação forte o suficiente para serem sentidas pelas pessoas e quebrar objetos de vidro.

Até o momento, os smartphones Android detectaram mais de mil terremotos pelo mundo. No entanto, segundo pesquisadores, o sistema ainda terá muitos desafios. De acordo com Men-Andrin Meier, sismólogo que estuda sistemas de alerta de terremotos na ETH Zurique, a Nova Zelândia será um deles, já que grande parte da população está agrupada em algumas cidades. Por isso, há o risco de que os telefones não avisem sobre um terremoto iniciado longe do centro antes que o tremor comece.

E você, o que achou da novidade? Para quem é fã do mundo da tecnologia, assista o vídeo abaixo e descubra se um celular é capaz de queimar um pedaço de bombril:

Fonte: Science Magazine

Deixe seu comentário

Artigo anteriorEles FORAM até o LUGAR MAIS FUNDO do MAR!
Próximo artigoO que tem DENTRO de um VIDEOCASSETE
Jornalista e produtora de conteúdo. Desde criança, amo escrever e refletir sobre diversos assuntos. Faço questão de estar imersa nas redes sociais (minha favorita é o Instagram), e séries e filmes têm sempre um espacinho reservado no meu tempo livre. Como uma boa fã de Friends, acredito que um pouco de descontração é fundamental para levar a vida da melhor forma possível.