Análise microbiológica: conheça o estudo sobre biofilmes de amido de mandioca

publicidade

Biofilmes são comunidades biológicas com um elevado grau de organização, onde as bactérias formam comunidades estruturadas, coordenadas e funcionais. Estas substâncias são produzidas pelos próprios microrganismos, com a finalidade de aumentar a sua chance de sobrevivência em um determinado meio.

publicidade

Biofilmes de amido de mandioca

Tendo essa comunidade como meio de pesquisa, um grupo de estudantes resolveu fazer um projeto como base em uma análise microbiológica sobre biofilmes de amido de mandioca coloridos com corantes naturais para uso como embalagens alimentícias.

Ficou curioso e quer conferir mais sobre o projeto? Leia o artigo produzido pelo grupo a seguir:

Biofilmes
Participantes do projeto fizeram análise de biofilmes | Divulgação

“Análise microbiológica”

*Por Anna Luíza Braga de Albuquerque e Nathália Bentes Soares
*Coordenado por Carinne de Nazaré Monteiro Costa Santa Brígida e José de Arimateia Rodrigues do Rego

Entre os dias 15 e 27 de março de 2021, ocorreu a 19ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – FEBRACE, no formato virtual, em que os projetos finalistas apresentaram os resultados obtidos ao longo de suas pesquisas. Para felicidade da Família Garança, o Colégio Militar de Belém teve dois projetos selecionados como finalistas da Feira.

Um dos trabalhos teve como título “Análise microbiológica de biofilmes de amido de mandioca coloridos com corantes naturais para uso como embalagens alimentícias”, sendo apresentado pelas alunas Albuquerque e Nathália, atualmente cursando o 2º ano do ensino médio, sob a orientação dos professores 2º Ten Carinne e 2º Ten R2 José Rêgo. O outro trabalho foi denominado como “Extração, caracterização e aplicação dos cristais de Piperina com agentes antifúngicos de bolores domésticos” apresentado pelos alunos Giovana Brito e o Lucas Moreno, também cursando o 2° ano do Ensino Médio, sob a orientação dos professores 2º Ten Guilherme e 2º Ten R2 José Rêgo.

Além da aprovação dos dois projetos submetidos pelo CMBel, a FEBRACE selecionou 10 professores para o Prêmio Professor Destaque 2021, com o objetivo de reconhecer o esforço realizado pelos docentes finalistas, entre 29 professores inscritos de 12 Unidades da Federação, o 2º Ten R2 José Rêgo foi selecionado para a concorrer à premiação.

Na 1° vez em que o CMBel submeteu projetos a FEBRACE, teve seus dois projetos aprovados e ainda, a seleção de um de seus professores para disputar a premiação como Professor Destaque 2021, sendo esta participação marcante para toda a Família Garança.

A ideia para o desenvolvimento dos projetos finalistas ocorreu a partir de uma aula interdisciplinar realizada pelos professores 2º Ten Carinne, 2º Ten Guilherme e 2º Ten R2 José Rêgo, das disciplinas de Biologia, Física e Química, respectivamente. A aula tinha como objetivo trabalhar a “Metodologia Científica”, demonstrando as etapas desenvolvidas pela pesquisa para chegar a uma determinada conclusão.

Estudantes fazendo os testes no laboratório | Divulgação

Durante a aula foi exemplificado um experimento em que eram testadas, ao longo do tempo, a ação microbiológica em fatias de pão manipuladas da seguinte forma: (1) mãos sujas de uma criança; (2) mãos lavadas com sabão; (3) mãos lavadas com sabão e, em seguida, limpas com álcool em gel, e (4) controle negativo, ou seja, pão não manipulado. Ao final da experimentação, visualizou-se que a fatia de pão (4) teve uma menor concentração fúngica em relação as outras fatias manipuladas. Um dos professores, que já havia trabalhado com amido de mandioca em sua tese, teve a ideia de verificar como ficariam os biofilmes de mandioca dopados com antifúngicos, nesse caso, usou-se a Piperina retirada da Pimenta do reino, se fossem manipulados da mesma forma.

Apesar dos projetos estarem definidos pelas equipes, os maiores desafios para o desenvolvimento dos objetivos previstos foram: a limitação de espaço e a ausência de laboratórios na escola, devido ao processo de implantação do CMBel, sendo um colégio muito novo em relação aos outros colégios do Sistema Colégio Militar do Brasil. Para o desenvolvimento dos projetos utilizamos laboratórios cedidos pela Universidade Federal do Pará (UFPA); a ocorrência da pandemia do novo coronavírus a partir de março de 2021, dificultando as reuniões presenciais com as equipes e o desenvolvimento dos trabalhos na UFPA, havendo assim, um tempo limitado para o avanço das pesquisas referentes aos projetos finalistas.

Mesmo com as dificuldades apresentadas acima, foi possível desenvolver um belíssimo trabalho, levando-se em consideração a inexperiência laboratorial dos alunos, que ainda cursam o ensino médio, em que a determinação e a disciplina para aprender foram essenciais para o pleno desenvolvimento dos projetos. Segundo a aluna Albuquerque: “Para mim, um dos maiores desafios foi lidar com os equipamentos de laboratório, pois eu nunca tinha trabalhado em um laboratório na prática e é muito diferente das aulas comuns, então achei um pouco difícil me acostumar com o ambiente”.

Como conclusões do projeto “Análise microbiológica de biofilmes de amido de mandioca coloridos com corantes naturais para uso como embalagens alimentícias” apresentamos que os biofilmes dopados com piperina demonstraram eficácia na inibição do crescimento e na diversidade dos fungos e que a adição de corantes nos biofilmes não provoca diferenciações entre os filmes a base de amido de mandioca, resultados que foram lindamente apresentados pelas alunas Albuquerque e Nathália na FEBRACE.

Biofilmes
Materialização dos testes feitos em laboratório | Divulgação

E participar da Feira foi uma experiência incrível para os alunos, cumprindo com um de seus objetivos: estimular o jovem cientista. Os alunos finalistas foram contemplados com Bolsas de Iniciação Científica Júnior (ICJ), do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento CNPq/FEBRACE 2021 para dar continuidade aos projetos selecionados, além disso, o projeto “Extração, caracterização e aplicação dos cristais de Piperina com agentes antifúngicos de bolores domésticos” foi premiado como Destaque unidades da federação, incentivando muito mais os alunos no caminho das Ciências.

De acordo com a experiencia vivida pelas alunas: “Participar da FEBRACE foi uma experiência inesquecível, pude presenciar diversos projetos incríveis e, apesar das restrições devido à situação atual, tivemos bons momentos de interação com as outras equipes e com os avaliadores. Acho que, ao apresentar uma feira de ciências, é imprescindível pesquisar bastante sobre seu trabalho e se aprofundar no assunto e, no dia da apresentação, confiar no seu conhecimento e demonstrar segurança no que diz”.

*A divulgação desse artigo na íntegra é uma parceria entre o Manual do Mundo e a FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia). Nós convidamos os ganhadores da feira para escrever artigos sobre os projetos que eles desenvolveram. Você pode conferir outros textos como esse aqui.*

Deixe seu comentário

Artigo anteriorESCORPIÕES que BRILHAM: você TEM QUE VER!
Próximo artigoESCUDO TÉRMICO: a fórmula que deixou a NASA maluca