Dá pra viajar POR FORA do AVIÃO???

publicidade

Essa semana nos deparamos com cenas fortes de pessoas tentando subir pela parte de fora de um avião para tentar sair do Afeganistão após a chegada do Talibã. Mas, falando cientificamente, será que é possível viajar por fora do avião?

publicidade

Além do vento, quais outras coisas impedem uma pessoa de sobreviver a uma viagem dessas? O Manual do Mundo explica agora!

Viajar por fora do avião

Após inúmeras imagens circularem pela internet de pessoas, desesperadas, tentando fugir do Afeganistão e viajar por fora do avião, o Manual se sentiu no papel de, ao menos, tentar explicar cientificamente essa questão.

A resposta está na física e em dois fenômenos relacionados à altitude que os aviões costumam voar que é de, mais ou menos, 11km. Ou seja, muito alta.

Nesse caso, com essa condição de altitude, não é possível viajar por fora do avião primeiro por conta da temperatura, que chega até -60ºC, e segundo porque o efeito da altitude ocasiona a falta de oxigênio.

Tendo como base de comparação, essa temperatura de -60°C é frio até mesmo para a Antártida – um dos locais onde as menores temperaturas do mundo são registradas.

Além disso, no topo do Everest, que é o lugar mais alto que a gente tem do planeta Terra, ele não chega a 11 km – que é a altitude que os aviões costumam voar. Ele chega a, mais ou menos, 8km.

Por que algumas pessoas conseguem?

Apesar de todas essas questões que jogam contra, existem relatos de pessoas que conseguiram viajar por fora do avião. No entanto, todos os relatos que encontramos, apontam que essas pessoas desmaiaram em algum momento por conta dessa falta de oxigênio ocasionada pela altitude e pelo frio.

Levando isso em conta, ao desmaiar, uma pessoa acaba “aumentando” as chances de sobrevivência porque ela passa a consumir menos energia, não tem descarga de adrenalina, etc.

No entanto isso não é tão positivo assim, uma vez que se esse desmaio acontecer e logo em seguida o trem de pouso baixar para pousar, ela não vai conseguir segurar em nada e pode correr o risco de cair.

Se você gostou do assunto e quer entender melhor sobre esses fenômenos físicos, assista o vídeo na íntegra e confira!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorO que tem DENTRO da BATERIA de MOTO
Próximo artigo“O conhecimento serve para mudar as pessoas, não para se exibir”, diz criador de “Alimente o Cérebro”
Jornalista multimídia e produtora de conteúdo. Curiosa, gosto de ler de tudo um pouco - de livros gigantes até placas de trânsito. Sou fã dos quadrinhos da Mafalda, e todos meus animais de estimação têm nome de comida. Adoro contar uns contos, mas amarro bem os pontos.