O menino que ENGOLIU 54 ÍMÃS

publicidade

publicidade

No começo de 2021, o jovem inglês Rhiley Morrison, 12, precisou passar por uma cirurgia de 6 horas após engolir 54 ímãs.

O menino da cidade de Greater Manchester ingeriu os objetos no início do ano para ver se teria um “estômago magnético” e, depois, saber como seria quando os ímãs saíssem. Porém, após acordar de madrugada com dores na barriga, Morrison resolveu revelar a sua mãe Paige Ward, 30, que havia engolido algumas bolinhas ‘por acidente’.

Onde mora o perigo?

Mas por que é tão perigoso engolir um ímã? Ao engolir apenas um objeto, com sorte, pode ser que o material seja expelido sem grandes problemas pelo corpo. Entretanto, ao ingerir mais de um ímã — ou um ímã e um material metálico –, os materiais podem grudar dentro do nosso intestino, apertando e perfurando o órgão, causando obstrução intestinal dentre outros problemas.

Se você acha que foi um caso isolado, saiba que este tipo de acidente é bem comum de acontecer com crianças e também com adolescentes, como foi o caso de Morrison. Nos Estados Unidos, por exemplo, foram registrados cerca de 1600 casos de crianças que engoliram ímãs em 2019.

O acesso à informação nos dá a chance de aprender a gerenciar possíveis riscos e a saber como nos proteger. Compartilhe este conteúdo caso conheça alguém que goste de mexer com ímãs e fazer experimentos. Bora tomar cuidado, fechou?

Veja também

Deixe seu comentário