SOMOS PARENTES? A chance é GRANDE!

publicidade

Você já parou para pensar que, provavelmente, muitas pessoas são seus parentes e você não faz ideia da existência deles? Por mais complexo que isso possa parecer, a ideia em si é fácil de ser entendida. Para deixar o assunto mais fácil de ser compreendido e visualizado, fizemos uma análise de DNA.

publicidade

Para que serve análise de DNA

Fazer uma análise de DNA, normalmente, é relacionado ao teste de paternidade. Isso porque, ele serve para provar se há, ou não, vínculo de genitura entre duas pessoas.

No entanto, a análise de DNA possui inúmeras outras finalidades. Ela tem como objetivo estudar o material genético de uma pessoa e identificar determinadas alterações presentes ali. A partir daí, é possível verificar se existe a probabilidade do desenvolvimento de algumas doenças.

Além disso, o teste de DNA é de grande importância para mostrar informações sobre os nossos ancestrais. Com ele, é possível saber de qual povo são os nossos antepassados. Inclusive, atualmente, muitas pessoas estão recorrendo a esse meio para descobrir, de fato, de onde elas vieram.

Árvore genealógica

Como mencionado anteriormente, podemos dizer que, provavelmente, todos nós somos parentes. Essa história vem do paradoxo da árvore genealógica que segue a seguinte linha: para uma pessoa existir, ela precisou de outras duas pessoas – sendo um pai e uma mãe; ambos precisaram de mais duas pessoas cada – somando quatro avós; e estes precisaram de mais duas pessoas para cada um – totalizando 8 bisavós.

Seguindo essa árvore genealógica, podemos chegar ao número de 16 trisavós, 32 tetravós, 64 pentavós, 128 hexavós, 256 heptvós, 512 octavós, 1024 eneavós, 2048 decavós, 4096 hendecavós… e assim por diante.

Continuando essa conta, chegamos ao número 32 “vós”, que seria a, mais ou menos, mil anos atrás. Com isso, teríamos 8.589.934.592 avós, pessoas que viveram naquela época e seriam nossos parentes.

Apesar da conta estar correta, não significa que ela diz exatamente tudo o que precisamos saber.

Levando os números em consideração, mostra a quantidade de pessoas que teriam vindo antes da gente a mais ou menos mil anos atrás. Mas, se você parar para pensar que atualmente a população da humanidade é a maior já registrada em todo a história e ela soma pouco mais de 7 bilhões de pessoas, é errado afirmar que a mil anos atrás só os ancestrais de uma pessoa somariam mais de 8 bilhões de pessoas.

Então, afinal de contas, como todos nós podemos ser parentes? E é aí que está a pegadinha: alguns dos antepassados se “repetem”. Pensando em uma vila pequena no passado, muitas pessoas casavam tinham filhos, depois uma pessoa poderia morrer e a outra acabar se casando novamente e ter outros filhos… como o ciclo social era muito pequeno, em determinado momento uma única pessoa poderia ser avó e bisavó da mesma pessoa.

Análise de DNA

E por mais que a análise de DNA não consiga recriar a árvore genealógica com tanta precisão, ela serve para mostrar a ancestralidade e indicar o local de onde a sua família teve origem.

Agora que você está por dentro do assunto de análise de DNA, não esqueça de assistir ao vídeo na íntegra para acompanhar tudo de forma bem ilustrada. E compartilhe também com aquele seu amigo que adora uma boa história!

Deixe seu comentário

Artigo anteriorPesquisa elucida irritabilidade e depressão na pandemia
Próximo artigoGrupo desenvolve projeto em busca de controlar a validade do ovo