As 9 missões Apollo que foram até a Lua – parte 1

publicidade

 

Módulo Lunar “Águia” da Apollo 11, em sua órbita ao redor da Lua
publicidade

O Programa Apollo foi a empreitada engendrada pelos Estados Unidos na década de 1960, durante a corrida espacial contra a União Soviética, para levar o ser humano à Lua. Ele veio em decorrência de outros dois projetos, o Mercury: cujo objetivo era levar um americano ao espaço; e o Gemini: que permitiu o desenvolvimento de manobras espaciais e as condições de permanência no espaço necessárias para um viagem espacial. O Programa Apollo necessitou de várias missões para desenvolver a cápsula dos astronautas, o módulo lunar e o famoso foguete Saturno V. As missões que chegaram a ir até a Lua, porém, foram estas:

Apollo 8 – um natal pouco convencional

Estávamos em meados de 1968 e havia enorme pressão para alcançar a lua antes dos russos e dentro do prazo prometido pelo presidente Kennedy – antes do final da década. Ainda faltava testar o módulo lunar e as manobras de giro e acoplamento no espaço, para então fazer o primeiro voo de órbita lunar e, se tudo desse certo, progredir para o voo de pouso na Lua. A equipe que estava desenvolvendo o módulo lunar estava atrasada, o que poderia comprometer todo o programa. Houve assim, uma decisão bastante ousada de adiantar o voo de órbita lunar (que não necessitava do módulo lunar para pousar) e testar todos os parâmetros da viagem, enquanto aguardavam a equipe do módulo lunar preparar seu primeiro protótipo.

Essa decisão, no entanto, dava 3 meses a menos de preparação aos astronautas e a todos os engenheiros e controladores de missão. Uma falha seria catastrófica e poderia acabar com todo o projeto. O lançamento foi marcado para dezembro daquele ano.

Assim, em 21 de dezembro de 1968, a missão Apollo 8 partiu com os astronautas Frank Borman, James Lovell, e William Anders numa viagem que levaria 3 dias para chegar ao nosso satélite natural. Mesmo com a correria e a pressão, o resultado foi excelente. Durante as 10 órbitas que a cápsula percorreu ao redor da Lua, os astronautas fizeram diversas transmissões que passaram ao vivo no circuito de televisão. Além disso, Bill Anders pôde tirar as primeiras fotos feitas pelo ser humano do nosso planeta, incluindo a icônica “Nascer da Terra”.

“Nascer da Terra”, foto de William Anders

Na tarde de Natal, quando se preparavam para começar a viagem de regresso, durante uma das transmissões, os astronautas foram surpreendidos com um peru recheado “escondido” num dos compartimentos da nave. Fizeram assim, talvez, o almoço de Natal mais inusitado da história da humanidade. Certamente, o mais distante de qualquer outro ser vivo do planeta.

Apollo 10 – tão perto e tão longe

Com o grande incentivo da missão 8 e com o sucesso da missão 9 em testar o módulo lunar em órbita terrestre, o objetivo agora era testar o módulo lunar e todas as manobras de acoplamento com ele na própria Lua.

Em 18 de maio de 1969, o lançamento da Apollo 10 colocou os astronautas Thomas P. Stafford, John W. Young e Eugene A. Cernan em trajetória lunar. A missão ocorreu sem problemas, colocando Snoopy (o módulo lunar) a apenas 15km de distância do solo, quando os motores foram acionados para guiar a nave de volta ao encontro de Charlie Brown (o módulo de comando). Deve ter sido maravilhoso e ao mesmo tempo incrivelmente frustrante para Stafford e Cernan se aproximarem tanto assim da superfície lunar sem no entanto poder tocá-la.

Modulo de Comando “Charlie Brown” da Apollo 10

Apollo 11 – o primeiro passo

O sucesso da missão 10 pavimentou o caminho para a etapa mais aguardada de todas: o pouso na Lua e os primeiros passos da humanidade fora do planeta Terra.

A missão foi comandada por Neil Armstrong em companhia de Buzz Aldrin e Michael Collins. Em 20 de Julho de 1969, a Águia (módulo lunar) se separou da Columbia (módulo de comando) e levou Neil e Buzz para a sua descida em direção ao solo lunar, que não foi sem complicações. A tripulação notou que estavam passando as marcações lunares cerca de 2 segundos antes do previsto, indicando que a Águia estava muito rápida e o local de pouso seria mais a oeste do que o planejado.

Estando a 1800m de altitude, o computador de bordo começou a sinalizar uma série de avisos de sobrecarga, indicando que ele não estava conseguindo realizar todas as tarefas em tempo real. A decisão foi de prosseguir com a missão e, pouco antes do pouso, perceberam que a região em que iriam pousar estava repleta de pedregulhos. Assumindo os comandos da nave, Neil estendeu o voo da Águia em busca de um local mais propício para o pouso e, com o combustível quase no fim, conseguiu manobrar a nave para um pouso seguro próximo da Craatera Oeste.

Ao descer do módulo lunar, Neil Armstrong proferiu a frase que entraria para a história – “Um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade”. A missão Apollo 11 foi um marco para nossa civilização e para o programa espacial americano, que efetivamente conseguiu suplantar o programa soviético depois de tanto tempo estar “atrás” na corrida espacial. Mas esta missão não foi a última.

Buzz Aldrin preparando os experimentos científicos em solo lunar.

Na parte 2, apresentaremos a continuação dessa história.

 

 

Deixe seu comentário